Você que acompanhou o artigo “10 coisas que todo aspirante a investidor deve saber“, já conhece a minha história. Caso não conheça, confira o texto “O que aprendi deixando tudo para ser um investidor“, para que saiba os motivos que me levaram a estar aqui, neste momento, conversando com você sobre o mercado financeiro.

Hoje, venho com mais uma parte das nossas dicas em busca do “Trader perfeito”. 06 coisas que você deve saber para investir em Dólar. Está pronto para aprender? Então venha comigo.

Lembrando: As 06 dicas contidas aqui destinam-se ao mercado futuro (BM&F).

Vamos lá… A primeira pergunta, a mais básica de todas! Afinal, o que atrai qualquer iniciante para o investimento em Dólar?

A resposta:

Principalmente, “dinheiro fácil”. Essa é a verdade. No dólar a grana rola solta. E é aí que mora o perigo… A grana rola solta para o bem e para o mal. Ganha-se muito, perde-se muito. Então antes de começar, tenha essa frase na cabeça para o resto do texto:

“Quem almeja muito, está disposto a arriscar muito.”

O dólar é o ativo mais negociado da nossa Bolsa de Valores. Por isso, a oscilação nos preços diários é gigantesca.

Ciente disso, vamos em frente com as 06 prometidas dicas.

1.  Agenda econômica mundial

O calendário econômico brasileiro é instrumento fundamental para consulta de qualquer um que se qualifique como Investidor ou trader profissional. Ligue seu alerta para gatilhos globais que impactam e especulam o mercado americano.

É claro que alguns indicadores têm um peso maior que outros, o importante aqui é saber medir este peso. Existem notícias meramente especulativas, impactando momentaneamente a moeda, e existem aquelas “bombas”, que mudam o rumo do ativo por meses.

Os principais dados de análise são aqueles utilizados pelos bancos centrais, impactando nas decisões de políticas monetárias e fiscais.

Conheça os mais importantes indicadores, que podem mudar o rumo da moeda americana (e da sua conta bancária):

. Indicadores de inflação;

. Atividade da indústria;

. Nível de desemprego norte-americano;

. PIB (EUA);

Relatórios de emprego (payroll).

Esses dados medem a saúde econômica do país e, por isso, impactam diretamente no mercado financeiro.

ALERTA – Os indicadores não devem ser analisados de forma isolada.

O importante aqui é analisar o resultado anunciado comparando-o com a expectativa que se tinha, ou seja… “Se o indicador ” A” mostra número de +1, isso vai impactar o mercado?”

R: Depende.

Se a expectativa dos analistas para o indicador A era de exatamente +1, nada vai acontecer.

Agora, se os especialistas cravam para o indicador A um valor de +20aí sim, isso vai impactar bastante! Você entende?

Quanto maior a distância entre a expectativa e a realidade, maior será o impacto no mercado!

isso vale para Ações, Dólar, Opções, Índice… qualquer ativo. No caso do Dólar, por tratar de moeda mundial, há impacto na agenda econômica global.

Os principais países para se atentar nas notícias são: Brasil, EUA, China, UE.

É fundamental também que o Trader esteja conectado. De nada adianta saber da notícia uma hora depois que ela foi divulgada e todo mundo já foi informado! Por isso, a recomendação vai para o ótimo site do investing.com ou sua versão em portuguêsNotícias relevantes em tempo real!

2. Bolsas estrangeiras

Estava pensando que era fácil investir em dólar? Tem que ficar ligado nas bolsas de valores do mundo inteiro!

“Uma eventual percepção de aversão a risco com fuga de capital de bolsas pelo globo, tendem a gerar o mesmo sell-off no Brasil.”

Não entendeu nada? Eu explico…

Se um investidor mundial, que aplica seu capital em bolsas do mundo inteiro, por algum motivo qualquer, retira boa parte do seu investimento de alguns mercados, temos a famosa:“Fuga de capital estrangeiro”.

Se vários investidores grandes retiram seus investimentos no mesmo momento, temos um problema a vista, não é mesmo?

E o nome do problema é efeito dominó. É bem provável que o que aconteceu lá, replique-se aqui na bolsa brasileira.

Ou seja, se você identifica esse padrão com antecedência, observando o comportamento das bolsas de valores mundo afora, você está um passo a frente para agir quando essa oportunidade bater na sua porta.

O que acontece lá fora, se replica aqui. É como uma onda.

Antecipe-se e aumente seus investimentos, ou proteja-se tirando seu dinheiro do mercado.

“Mas vem cá… Quais são as principais bolsas estrangeiras que eu tenho que me ligar?”

São quatro àquelas com maior valor de mercado no mundo:

. A – NYSE: Bolsa de valores de New York, a principal bolsa existente.

A NYSE opera de 10:30 às 17h no horário de Brasília, podendo variar de acordo com o horário de verão americano e brasileiro, portanto, atualize-se.

Todos os dias o mercado brasileiro sente o impacto da abertura da NYSE, repito, todos os dias. Lá embaixo vou te explicar os motivos.

. B – Nasdaq: Na 2ª posição no ranking de bolsas mundiais, a também americana Associação Nacional de Corretores de Títulos de Cotações Automática.

Mesmo com um terço do valor de mercado da NYSE, a Nasdaq é fundamental. Ela opera no mesmo horário de sua conterrânea, NYSE, por isso, as duas juntas causam um tremendo barulho no mundo todo.

Você, meu conterrâneo tupiniquim, pode estranhar isso tudo. Como um país tem duas Bolsas de Valores? Aqui no brasil nós não temos uma só?

Sim, somente a BM&F Bovespa circula todos os títulos imobiliários do país. Mas lá fora não há monopólio. O mercado financeiro é tão grande que temos espaço para diversas “Bolsas de Valores” nos Estados Unidos.

E a NASDAQ caracteriza-se por reunir empresas de alta tecnologia.

Sugestão: Para acompanhar as diversas bolsas norte-americanas, se ligue no principal índice de ações do país, o S&P 500. Ele reúne as 500 maiores ações presentes tanto na Nasdaq quanto da NYSE.

. C – Tóquio: A principal bolsa fora dos EUA!

Só por este motivo, já vale a pena ficar ligado em Tóquio.

A bolsa japonesa opera entre 21h e 05h30 do horário brasileiro, e detém como principal índice, o Nikkei 225.

. D – LSE: Londres. Fechando a lista, a maior bolsa da União Europeia.

Com a abertura de mercado às 04h00 horas de Brasília, próxima ao fechamento das bolsas asiáticas, a LSE tende ao observado na bolsa de Tóquio.

Seu valor nos informa sobre o mercado europeu em geral e seu principal índice é o FTSE 100.

“ Portanto, fique ligado nessas quatro bolsas de valores se você quer ganhar, ou principalmente, não perder dinheiro investindo em dólar!”

3. Mercado à vista, nossa querida BOVESPA.

Nem só de bolsas mundiais vive um trader de dólar. É muito importante se ligar no que acontece na sua própria casa, no Brasil!

Todos sabem que os horários de abertura e fechamento da Bovespa (09h e 18h, hora de Brasília, variando com o horário de verão) respondem pelo maior volume de negócios.

Grandes players posicionam-se para o próximo dia nesses horários, por isso, fique atento na abertura e fechamento.

Vale também acompanhar os picos do mercado à vista. A BOVESPA nos mostra a entrada ou a saída de fluxo de capital, e isso impacta diretamente na relação Dólar x Real.

“O mercado à vista impacta diretamente o mercado futuro e vice-versa.”

Um volume grande de dinheiro aplicado na bolsa de valores provém da entrada de capital estrangeiro. E se há entrada de capital estrangeiro, este vêm em moeda mundial, Dólar.

Portanto se há muita entrada de moeda americana no Brasil, o valor desta tende a mudar, não é mesmo? (Lei da oferta e procura)

Fique ligado no que acontece no seu quintal.

A forte entrada ou saída de muitos milhares de dólares sempre afetam o valor da moeda.

Você entende? Aqui, a relação Dólar X Real tende a ser inversamente proporcional: Dólar pra baixo, Real pra cima…

Na teoria: Com muita entrada de fluxo estrangeiro, temos também muitos dólares circulando no Brasil. Com muitos dólares circulando, a balança da oferta x procura tende para o lado da oferta, e isso faz o preço da moeda cair.

Muita oferta para pouca demanda = Preços baixos.

4. Hora de aprofundar: curva de juros futuro

investir em dólar

Calendário econômico; principais bolsas estrangeiras; abertura do mercado à vista. Tudo isso é fundamental para o dia a dia de um day-trader.

Vamos agora a um indicador mais técnico. (Sem pânico, vou abordá-lo de maneira bem simples…)

“A curva de juros futura serve como termômetro para a aversão ou apetite do mercado.”

Ou seja, quando o momento é de pessimismo sobre a economia nacional, é normal que grandes investidores, com medo de um cenário instável, retirem parte do seus investimentos do país. Isso gera fuga de dinheiro.

Ativos de risco, aqueles que variam muito e são imprevisíveis como a Bolsa de Valores, são preteridos por outros ativos mais seguros como: bonds (títulos de dívidas públicas), dólar, ouro e outros.

Diante da incerteza de uma economia instável e a fuga de capital de nossas principais empresas listadas nas Bolsa de Valores, temos uma alta nas taxas de juros futuros.

A precificação do DI futuro – índice que precifica os juros ou resumidamente, a taxa de juros, derivam da credibilidade da economia. Ou seja, da confiança que se têm na entrega daquilo que é prometido.

A Taxa de Juros relaciona-se diretamente com a confiança e estabilidade do mercado.

Quando você consegue relacionar estes dois ativos, Juros (DI) e Dólar (Dolfut), você encontra uma “fórmula mágica” para o sucesso no day-trade de dólar.

Oras… Quanto maior a taxa de juros, maior a instabilidade no mercado nacional e na moeda brasileira correto? Sendo assim, maior é a confiança na compra de um ativo sólido.

E você quer algo mais sólido neste mundo que o Dólar, uma moeda de 232 anos ?

“Entendeu? DI e Dólar movimentam-se na mesma direção, normalmente. Um puxando o outro”

Quer ir mais a fundo? Se o índice de “ativos seguros”, como o dólar, segue a taxa de juros, logo, índices de ativos de risco como o Ibovespa, movem-se na direção oposta.

É como matemática… Se 2+2=4 e 1+1 = 2, logo 1+1+1+1 = 2+2 !

AVISO – Como TUDO no mercado financeiro é relativo e não existe uma fórmula mágica, você não deve tomar suas decisões baseado somente neste raciocínio.

Acredite. Não é tão fácil assim… O que expomos aqui é: A relação Dólar x Curva de Juros é real! Ela existe, funciona e você tem que se ligar. Mas não tome somente isto como única base para as suas operações.

Na verdade, nunca tome um indicador só como base para suas operações financeiras. Não existe verdade absoluta aqui!

Fique atendo também aos swaps de dólar realizados pelo BC. Eles existem para reduzir a discrepância entre o DI x Dólar.

Ressalvas feitas, o DI futuro é sim um ativo que deve estar na tela do day-trader de dólar, ele é um forte aliado para seu sucesso.

  • Atualmente, a curva mais líquida do DI é a de vencimento 21, código DI1F21.

 5. Commodities – Petróleo, minério & Cia.

investir em dólar

Sempre escutamos falar de commodities. Toda noite você ouve essa palavra no Jornal Nacional e não sabe o que é. Se quer ser um Trader e viver de mercado, meu amigo, você tem que ter na ponta da língua o que são commodities !

Aurélio, ajuda aqui:

O termo commodities vem do inglês, significa mercadoria. São artigos de comércio. Bens que quase não sofrem processos de alteração, como frutas, legumes, cereais e alguns metais.

Fonte: Significados.com.br

Como seguem um determinado padrão, o preço das commodities é negociado na Bolsa de Valores Internacionais, e depende de algumas circunstâncias do mercado, como a oferta e demanda.

O Brasil é um grande produtor de algumas commodities como café, laranjas, petróleo, alumínio, minério de ferro, etc.

Mais um ativo com forte correlação com o dólar. Nosso país é um forte exportador de minério de ferro e petróleo e, por isso, a relação destes é geralmente positiva com o Ibovespa, e negativa com o dólar.

Neste cenário, é comum que, no Brasil, as maiores empresas estejam ligados a este setor.

Se as maiores empresas estão relacionadas ao setor de commodities, e são essas maiores empresas que movimentam o desempenho econômico geral do país, …

“…logo, são os commodities fortes indicadores da saúde da economia brasileira.”

Petrobras e Vale. Você conhece essa dupla? São duas das maiores empresas deste país. Ambas comercializam commodities. Petróleo e minério, respectivamente.

Quando essas empresas oscilam de maneira significativa, um movimento similar ocorre no índice BOVESPA. Ou seja, é quase em regra: Vale e Petrobras para cima, índice para cima, economia para cima, Brasil para cima!

Quase sempre (tratando de mercado financeiro, a única certeza é a palavra quase), um aumento de preços nas commodities, aumenta também o lucro das empresas que as exploram.

Se as empresas que exploram commodities são as maiores do país, o aumento de lucro dessas empresas = crescimento econômico.

Aqui vai a sacada: Commodities são cotadas e negociadas em dólar. Utilizando de novo a lei da oferta e demanda, pense:

Uma alta no preço da matéria-prima eleva também o valor de venda do produto final.

Exemplo prático: Alta no Petróleo (commodities) leva a alta na gasolina (produto final). Simples assim.

Alta no produto final = redução de demanda… Quanto mais caro a gasolina, menos pessoas compram ou utilizam carros, em tese. Logo, a Petrobras, produzirá menor quantidade de gasolina!

Aprendemos que um cenário financeiro desestabilizado gera insegurança econômica que gera fuga de capital estrangeiro que, por sua vez, gera menores investimentos de riscos como a Bolsa de Valores. Isso tudo, causa alta nos juros…

Ainda nao acabou…

Pensando na contramão. Uma alta no preço dos commodities gera alta no lucro das principais empresas brasileiras, que traz solidez ao mercado, que é igual a consistência; Consistência = Confiança, que é = a injeção de capital estrangeiro.

Com maior fluxo de Dólar injetado no país, temos uma alta na oferta e, como sabemos, muita oferta para pouca demanda = preços baixos.

Entendeu?

Quanto mais solidez as principais empresas da bolsa brasileira apresentarem, maior é a confiança nelas. Maior confiança na nossa economia é benéfico ao país e isso atrai capital estrangeiro, atrai Dólar!

“Você entende a correlação inversamente proporciona entre dólar e commodities?”

Volto a ressaltar a importância de não tomar uma análise como verdade absoluta. Nunca é demais lembrar.

6. A famosa taxa Ptax

De novo, você não entendeu nada, não é? Normal, não se assuste. No começo, parece que precisamos de uma infinidade de indicadores, notícias e dados para investir em Dólar. E a verdade é que… Precisamos mesmo!

Com o passar do tempo você vai compreender e assimilar melhor todos esses fatores.

A busca pelos indicadores também não é complicada. Você encontra tudo isso a apenas um clique de distância, no ótimo e já mencionado site do Investing.com.

Com experiência, um day-trader que se preze já terá todos os indicadores abertos na tela. Para entender o que é a Ptax e finalizar o nosso raciocínio, primeiro temos que saber: Existem vários câmbios diferentes para o dólar.

“Quem nunca se perguntou da diferença de cotação do Dólar Comercial para o Dólar Turismo?”

A Ptax é justamente isso. É a média entre os diversos contratos de dólar. Turismo, Comercial, acordos entre companhias, contratos futuros da moeda…

Todos os dias o Banco Central calcula o valor da Ptax.

… Você não precisa saber como o BC faz esses cálculos, além de complexo, é muito chato.

Existe um significativo impacto da Ptax no Dólar Futuro (DOLFUT), principalmente na abertura do pregão; Numa jogada muito esperta, os dealers (Negociantes), todos os dias tentam pressionar a formação da Ptax.

Esse fenômeno explica a maior volatilidade e volume de negócios durante a manhã.

“Para que os negociantes fazem isto, pressionar a taxa Ptax?”

Pense comigo num exemplo grotesco e gritante…

Eu sou um mega investidor americano, dono de uma holding milionária.

Hoje vence meu contrato com a Petrobrás. Eles devem me pagar milhões ou até bilhões pela compra de novos fornos ultra modernos que produzi.

Digamos que a cotação do dólar esteja em US$ 1,00 para R$ 3,13.

É aqui que começa a malandragem… Eu sou uma empresa bilionário e tenho poder para pressionar a Ptax para cima, comprando dólares sem parar até o preço de R$ 3,17 no dia de hoje.

A Petrobrás tem que me pagar até o fim do dia, sob a taxa de Dólar x Real que o mercado precificar.

Se eu gasto, digamos… 10 milhões de reais para puxar o preço do dólar para cima, indo contra tudo e todos no mercado, fechando o dia com o câmbio de R$ 3,17, ao invés dos anteriores R$ 3,13, eu terei lucro?

Vamos calcular. Se a dívida da Petro comigo é de 500 milhões de dólares:

. US$ 500.000.000 x 3,13 = R$ 1.565.000.000

. US$ 500.000.000 x 3,17 = R$ 1.585.000.000

Essa diferença na cotação do dólar de QUATRO centavinhos, me renderam no final das contas, 20 MILHÕES DE REAIS!

…R$ 20.000.000.

Então, aprendemos duas coisas com a Ptax:

1ª: Somos reféns da vontade dos grandes players.

2ª: Quando um grande player quer moldar o preço do Dólar, ele simplesmente molda o preço do Dólar…

É claro que esse cenário só pode acontecer quando estamos tratando de fundos e empresas Multi-Bilionárias. As maiores do mundo!

Apesar de calculada todos os dias, a Ptax definida na rolagem do contrato de dólar futuro (último pregão do mês) é a que vale para os diversos contratos cambiais do mês seguinte, e este tipo de ação descrita acima acontece com muito mais intensidade nessas datas…

…. quando eu digo rolagem, entenda:

Você aí na sua casa vai operar o Mini-Dólar e digita, por exemplo: WDOK17, não é mesmo?

W = Indica Mini Contrato

DO = Indica o ativo Dólar

K = indica o mês de vencimento daquele contrato de dólar (K=Maio)

17 = Ano vigente. 17 = 2017

Os mini contratos, sejam de Dólar ou de índice, diferente do seus contratos cheios (DOLFUT e INDFUT), tem data certa para o vencimento. Mas esse assunto é papo pra outro texto…

Precisamos entender agora é que mini contratos vencem. No exemplo acima, WDOK17, o vencimento acontece no último dia útil de maio. Chama-se este vencimento de Rolagem.

O WDOK17 será substituído pelo WDOL.

O último pregão antes da rolagem dos mini-contratos têm muita força na definição da Ptax do mês que vem, ou seja… A Ptax tem muita força na precificação do dólar, e a rolagem tem muita força na precificação da Ptax.

Isso explica a maior volatilidade do ativo na reta final de cada mês, período em que os Traders pressionam a taxa para cima e para baixo, buscando favorecer seus negócios.

Você pode observar a taxa Ptax pelo site do Banco Central.

Conclusão

Existem inúmeros fatores, indicadores, taxas e notícias que um operador e investidor de Dólar deve se atentar.

Isso só reforça o que digo constantemente. Ser Trader não é nada fácil. Exige muito esforço e dedicação.

Para viver do mercado financeiro, tem que ficar ligado, 24 horas por dia, 7 dias por semana! Dedicação integral, parceiro.

E vou além: O mais importante neste artigo não é entender quais indicadores deve-se acompanhar…

“Mas então eu li isso tudo à toa?”

A mensagem aqui é bem maior.

Todos os indicadores, taxas ou notícias existem para te ajudar. Saiba respeitá-los e interpretá-los .

Não tem mágica nem Santo Graal. Não existe verdade absoluta.

Se você souber utilizar e interpretar esses seis itens acima da maneira correta, você passa automaticamente do nível Principiante/Amador para o Intermediário, e aí, vem o caminho mais longo e árduo para o nível Profissional/Expert.

“Aliando estes indicadores com uma boa leitura de fluxo (ou Tape Reading), uma estratégia sólida e um psicológico inabalável … O sucesso será questão de tempo!”

investir em dólar

Ah, o tal do Dólar!!!

Curtiu? Então deixa um like, comentário ou compartilhe o post. E se a ideia de aprender a operar no day-trade te agrada, vem para WM Manhattan!

Luis Fernando Roquette

About Luis Fernando Roquette

Investidor e Day Trader em mercado a vista e futuro desde 2015. Sócio na Triumpho Capital, auxilia grandes e médias empresas na revisão e recuperação de tributos e compliance previdenciário. Co-criador e escritor no portal Investidor Moderno.

2 Comments

Leave a Reply