Frequência de Mercado, qual a sua importância?

Poucas pessoas realmente entendem o que é a frequência do mercado. Uns dizem até entender, mas não sabem usar a frequência a seu favor. Outros além de não entender julgam desnecessário o entendimento, e desses eu tenho é pena. Se você como eu, opera no mercado através da análise de fluxo, saber identificar e usar a frequência de mercado a seu favor é sua obrigação. Seja para identificar o ponto ideal de entrada, saída ou stop de uma operação. Identificar a frequência do mercado é uma habilidade indispensável para o trader.

O que é essa tal Frequência de Mercado?

Primeiro vamos classificar a frequência do mercado em dois tipos: frequência de oscilação e frequência de acumulação. Vamos começar pelo básico, frequência, de acordo com dicionário “é o ato de ir com certa assiduidade a determinado lugar”, no trade tratamos o lugar como os níveis de preço. Então a frequência é a forma como o preço é deslocado de um nível ao outro e com qual constância e persistência ele se desloca. Quando analisamos a frequência precisamos saber que: o que estamos tentando entender é como o mercado se comporta em cada nível de preço e como ele vai se comportar em níveis de preço ainda não negociados.

Oscilação e Acumulação

Agora que vocês já entenderam o que de modo geral é a frequência, vamos tentar entender as diferenças entre a frequência de oscilação e acumulação. Quando analisamos o mercado e os preços, sempre temos que ter em mente que o que importa não é um nível de preço especifico, mas a região. Sendo assim, a frequência de acumulação é a distância entre níveis de preço onde há em determinado momento maior interesse de negociações tanto da compra quanto da venda. Mas quando há um desbalanceamento na oferta e demanda entre compradores e vendedores o resultado é um deslocamento de preço. Isso ocasiona o chamado rompimento da frequência de acumulação. Esse é o movimento gerado por esse rompimento que chamamos de frequência de oscilação. Ou seja é quanto o mercado desloca de preço até formar uma nova frequência de acumulação.

Como identificar a frequência?

Não existe uma regra matemática, a frequência é variável. Por isso uma boa leitura de fluxo é fundamental, existem algumas plataformas que disponibilizam ferramentas que auxiliam o trader, mas o ideal é desenvolver a capacidade de identificar apenas pelo fluxo, pois é sempre ele quem lhe indica a realidade do mercado. A frequência de acumulação pode ser facilmente identificada através das agressões. Por exemplo, após um forte movimento de compra ou venda que tenha gerado um deslocamento forte de preço (frequência de oscilação) o mercado atinge um nível de preço onde há uma exaustão de agressões ou a contraparte passa a atuar interrompendo o movimento em um determinado nível de preço. Nesse momento basta você se perguntar até qual preço o comprador agride? Até qual preço o vendedor agride? Onde o comprador volta a atuar? Onde o vendedor volta a atuar? As respostas para essas perguntas vão lhe indicar a mínima e máxima daquela frequência de acumulação.

Já na frequência de oscilação basta você verificar, quantos níveis de preços o mercado deslocou até formar uma nova frequência de acumulação? Uma forma de se identificar qual a possível frequência de oscilação é analisando a liquidez do book de ofertas em determinados níveis preço. A alta liquidez em um determinado nível de preço pode indicar maior interesse de compra ou venda naquela região. Sendo assim, após um rompimento o deslocamento de preços pode ser interrompido naquela região através de uma atuação mais forte da contraparte. Ambas as frequências mudam ao longo do dia, do mês, do ano e principalmente de acordo com o nível de preço em que o mercado se encontra.

Como usar a Frequência a meu favor?

A frequência é quem dita o ritmo do mercado. Baseado nela é que identificamos os melhores pontos de entrada, saída e stop de uma operação. Como eu já disse, o mercado precifica um ativo por regiões de preço, sendo assim dentro de uma região podemos identificar onde há maior interesse na venda e onde há maior interesse na compra. A lógica operacional é simples: quero vender onde a venda é forte e comprar onde a compra é forte. Meu alvo pode ser a outra extremidade dessa frequência de acumulação. Ou até, se identifico a possibilidade de um rompimento a meu favor, meu alvo seria a região onde tenho indícios de que pode se formar uma nova frequência de acumulação. Já meu stop-loss só será acionado caso haja um rompimento claro da frequência de acumulação contra minha posição. Uma vez que isso me indica que aquele(s) participante(s) que atuava(m) naquele nível de preço e motivaram minha operação já não atua(m) mais.

Espero que esse artigo te ajude, frequência de mercado é algo extremamente discricionário e que demanda tempo de tela olhando as coisas certas. Com o tempo você vai desenvolver a sensibilidade necessária e tenho certeza que o resultado será um operacional cada vez mais consistente. Agora é botar a mão na massa. Boa sorte!

Sanzio Cunha

About Sanzio Cunha

Administrador com especialização em gestão de empresas. Trader de Futuros e Bovespa, é gestor da WM Manhattan e carrega consigo mais de dez anos de experiência com comércio exterior em mercados como China, Estados Unidos e França.

Leave a Reply