O Mercado Financeiro e as Eleições 2018

Efeito Eleição

Existem três fatores, entre outros, que causam grande volatilidade no mercado: assimetria de informação, ambiguidade e discordâncias. Momentos como das Eleições 2018, principalmente em países como o Brasil. Com democracia ainda jovem e um Estado extremamente grande, com influência em diversos setores da economia, as incertezas políticas e as diferenças em relação aos planos econômicos dos candidatos têm um efeito muito forte no mercado financeiro.

O medo de que seja eleito um candidato sem responsabilidade monetária e que equilibre a política fiscal está tomando de assalto o mercado e o cenário de incerteza é muito maior este ano do que em 2014.

Cenário Brasileiro

Em 2014, a polarização PT x PSDB ainda era dominante na política brasileira e as expectativas do mercado eram desde muito cedo de que as eleições seriam decididas entre Aécio Neves e Dilma Rousseff. Qualquer avanço de Dilma nas pesquisas era razão para quedas da bolsa e altas do dólar, assim como acontecia o oposto em sinalizações favoráveis a Aécio.

Esse ano, pelo contrário, não se sabe quem será o candidato do PT. Alckmin ainda não mostrou forças e personagens novos entraram na equação. Os nomes mais fortes da disputa são Ciro Gomes, Marina Silva e Jair Bolsonaro. Eles dividem a maior quantidade dos votos, porém Lula, mesmo preso, ainda lidera pesquisas de voto.

O Efeito nos Ativos Brasileiros

Entre os ativos em que devemos esperar mais volatilidade estão as empresas estatais de capital misto e os bancos, mais vulneráveis às canetadas do governo. No entanto, estamos passando por uma crise fiscal bastante severa e as contas públicas podem não fechar adequadamente a depender de quem ocupar a cadeira presidencial no ano que vem. E isso teria um impacto no mercado em geral.

Uma sondagem da XP Investimentos com 204 investidores institucionais revela que o mercado acredita que Bolsonaro lidera a disputa eleitoral. Além disso, que o cenário de segundo turno mais esperado é de Bolsonaro contra Ciro Gomes. Para os investidores, o candidato que representaria um cenário mais positivo para bolsa seria Geraldo Alckmin. Álvaro Dias e Jair Bolsonaro representariam um desfecho positivo e Marina Silva significaria estabilidade (Marina Silva é a candidata em que aparecem mais opiniões divergentes). Ciro Gomes e Fernando Haddad são vistos com pessimismo.

mercado financeiro e eleições 2018

Como devemos nos comportar diante as Eleições 2018?

Apesar de não sabermos qual será o resultado da eleição, podemos adiantar que o período de campanha será marcado por grande volatilidade e baixa liquidez. Essa volatilidade será ainda mais forte se o câmbio se mantiver próximo dos 4 reais como esteve na última semana. Já que esse patamar é naturalmente uma zona de preços menos líquida.

Aos day traders, a WM Manhattan recomenda muito cuidado. Em cenários assim, o ideal é operarmos com uma exposição financeira menor do que a de costume. Uma vez que a frequência do mercado fica maior e não podemos continuar utilizando os mesmos parâmetros de pay off. O stop será inevitavelmente maior, assim como os alvos de ganho.

Lucas Carvalho Ferreira

About Lucas Carvalho Ferreira

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos, é investidor e day trader nos mercados de ações e derivativos desde 2017. Atua como professor na área de criptomoedas, na WM Educacional, e na produção de conteúdo da empresa.

Leave a Reply