Muita gente acredita que o único motivo pelo qual uma pessoa se envolveria com bolsa de valores seria para comprar a ação de uma empresa em que acredita e esperar a valorização da mesma no longo prazo. Isso é realmente um motivo pelo qual muitas pessoas entram para a bolsa, mas não é o único. Existe também no mercado financeiro a figura do trader, ou especulador.

E o que difere o especulador/trader do investidor?

Para começar a janela de tempo. Enquanto o investidor faz o que é chamado no jargão de mercado de “buy and hold” (comprar e segurar). O trader está interessado em pequenas valorizações ou desvalorizações de curto prazo.

O que? Desvalorizações? Sim, estamos acostumados a entender, já que o senso comum só conhece o investidor, que na bolsa podemos comprar ações de empresas, encarteirar e esperar a valorização delas para eventualmente vender. Alguns ainda conhecem a possibilidade que algumas ações nos dão de receber dividendos (uma parte dos lucros da empresa dividida entre os acionistas). Mas pouca gente sabe que podemos operar vendidos nas ações ou outros ativos financeiros.

Como isso funciona a trade?

Depende, se vamos fazer uma operação que durará uma semana ou duas (swing trade), precisamos fazer o aluguel dessas ações. Mas em casos de day trade (quando entramos e saímos da operação no mesmo dia) as corretoras só exigem que tenhamos uma margem depositada para cobrir eventuais perdas.

Então, basicamente, o investidor se torna sócio da empresa. Enquanto o trader procura tirar proveito das pequenas oscilações do mercado. Uma crise no país pode deixar o investidor preocupado. Mas o trader se aproveitará da volatilidade que momentos turbulentos trarão ao mercado e enxergará as possibilidades de lucro desses movimentos causados por nervosismo ou incerteza. O principal benefício que o trader traz para o mercado é a liquidez que ele proporciona. Por que? Ora, a qualquer momento que alguém necessitar entrar ou sair do mercado existirão traders interessados em vender ou comprar

As ferramentas que o trader e o investidor usam para tomar decisões:

O investidor geralmente faz uma análise chamada de fundamentalista. Ele analisa principalmente a projeção de fluxo de caixa, procura entender a estratégia de crescimento da gestão, acompanhar os aspectos macro do mercado (por exemplo, o preço das commodities influencia empresas delas dependam). Enfim, indicadores que podem influenciar o desempenho da empresa, conhecer as empresas que concorrem diretamente, entre outras coisas.

O trader, por sua vez, toma suas decisões baseado em uma série de coisas como análise gráfica, notícias e dados econômicos.

Aqui na WM Manhattan o carro chefe de nossa tomada de decisão é a análise de fluxo de ordens. Ela é focada principalmente na leitura da fita (Tape Reading). Ou seja, as principais ferramentas que estamos de olho em nossa tela são o livro de ofertas e o histórico de negócios.

Isso não significa que não prestemos atenção em pontos de suporte e resistência gráficos (principalmente aqueles baseados em volume de negociação) ou que não acompanhemos as notícias e dados que podem afetar o mercado, mas a nossa análise principal se dá no acompanhamento e na reação ao que os grandes players do mercado estão demonstrando e fazendo no mercado, mas isso é papo para um outro artigo.

Lucas Carvalho Ferreira

About Lucas Carvalho Ferreira

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos, é investidor e day trader nos mercados de ações e derivativos desde 2017. Atua como professor na área de criptomoedas, na WM Educacional, e na produção de conteúdo da empresa.

Leave a Reply